Mostrando postagens com marcador Flaubert. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Flaubert. Mostrar todas as postagens

sábado, 17 de março de 2012

Emma Foverer


No fundo da alma, entretanto, esperava um acontecimento. Como os marinheiros em perigo, ela passeava sobre a solidão de sua vida os olhos desesperados, procurando ao longe alguma vela branca nas brumas do horizonte. Não sabia qual seria esse acaso, o vento que o empurraria até ela, para que plagra a levaria, se era chalupa ou um navio, com três conveses, carregado de angústias ou pleno de felicidade até as aberturas dos canhões. Mas, a cada manhã, ao despertar, esperava-o para aquele dia, e escutava todos os ruídos, levantava-se em sobressalto, ficava atônita por ele não vir; depois, ao pôr do sol, sempre mais triste, desejava já estar no dia seguinte.
Flaubert, Madame Bovary